Connect with us

destaque

Fala de Bolsonaro sobre “empréstimo no banco” repercute no meio político

Publicado

on

Uma declaração do Presidente Jair Bolsonaro segue repercutindo muito nesta quarta-feira (2). Na terça (1), o chefe do executivo criticou as pessoas que estão pedindo por uma prorrogação do Auxílio Emergencial. Ele disse que esses brasileiros que estão querendo dinheiro precisam tirar um empréstimo em um banco.

“Nós gastamos em 2020 com auxílio emergencial o equivalente a 10 anos de Bolsa Família. E tem gente criticando, falando que quer mais. Como é endividamento por parte do governo, quem quer mais é só ir no banco e fazer empréstimo”, disse o Presidente.

Rapidamente, aliás, a declaração repercutiu muito no meio político. O ativista e ex-candidato à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL-SP), falou sobre o assunto. “Bolsonaro disse que quem está achando pouco os R$250 do auxílio emergencial ‘é só ir no banco e fazer empréstimo’. Se não tem pão, que comam brioches”, disse ele.

Seu colega de partido, o Deputado Ivan Valente (PSOL-SP) chegou a xingar o Presidente. “A cara de pau do Bolsonaro. Ele fala de banco como se todo brasileiro fosse como o Flavinho para financiar mansão de 6 milhões a juros de amigo. Genocida cínico!”, disse ele.

O presidenciável do PDT, Ciro Gomes disse que quer Bolsonaro fora da Presidência da República e também pediu por um aumento do Auxílio. “Eu quero vacina, quero auxílio emergencial digno para o nosso povo e quero FORA BOLSONARO!”, disse o pedetista em sua conta do Twitter.

Apoiadores defenderam Presidente

Alguns internautas, no entanto, apoiaram a declaração do chefe do executivo. Mesmo que aparentemente em menor número, eles disseram no geral que Bolsonaro está fazendo um bom trabalho na Presidência da República. “Parabéns Presidente e Ex-Ministros Pazuello e Ernesto Araújo. Tenho orgulho de apoiar esse Governo”, disse uma internauta que não se identificou pelo nome no Twitter.

“Parabéns, Presidente. Ao contrário do calça apertada o Governo Federal tem muito trabalho e pouco marketing”, disse o Deputado Federal Bruno Engler (PSL-MG). Ele, aliás,  usou o termo “calça apertada” para se referir ao Governador de São Paulo, João Dória.

“Notícia boa! Deus continue abençoando o Brasil. Deus continue dando graça e sabedoria ao governo”, disse o internauta Claudinei Vieira do Carmo, em seu perfil oficial do Twitter. O número de pessoas que apoiaram a declaração do Presidente foi, no entanto, notadamente menor nas redes sociais.

Auxílio Emergencial

De acordo com as informações do Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial está pagando este ano quatro parcelas de valores que variam entre R$ 150 e R$ 375. Como os repasses começaram em abril, então se considera que eles irão acabar no próximo mês de julho.

Parte do Governo, aliás, parece querer uma prorrogação do programa. O próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que isso é uma possibilidade. No entanto, ele falou também que tudo vai depender do comportamento da pandemia daqui para frente.

O Governo Federal, no entanto, ainda não bateu um martelo sobre isso. Parte do Congresso, aliás, está fazendo pressão para que eles anunciem uma decisão logo. Isso porque as pessoas precisam de uma resposta sobre o que vai acontecer com elas neste segundo semestre.

Fonte: NOTÍCIAS CONCURSOS

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade