Connect with us

destaque

Universitários reclamam de cortes em auxílios estudantis no Brasil

Publicado

on

Alguns estudantes universitários estão sentindo na pele neste momento uma redução dos seus auxílios estudantis. É que algumas universidades costumam fazer pagamentos para estes alunos. Acontece que em alguns casos, esse dinheiro está caindo.

Na Universidade Federal da Bahia (UFBA), por exemplo, o Auxílio Permanência teve uma queda importante. Alguns alunos estavam recebendo uma bolsa de R$ 900 mais um auxílio alimentação de R$ 400. O primeiro caiu para R$ 830 e o segundo para R$ 200. Assim, temos uma redução visível nos valores.

No caso da UFBA, esse dinheiro vai principalmente para os estudantes indígenas e quilombolas. Nos dois casos, a ideia dessa bolsa é ajudar aqueles que precisam ficar longe de suas casas para conseguir estudar na Universidade em questão. É uma ajuda para quem precisa.

De acordo com a Universidade Federal da Bahia, esse corte nos auxílios está acontecendo por causa da queda nos repasses do Governo Federal. É que desde o início do mandato do Presidente Jair Bolsonaro, esse dinheiro para a educação superior vem caindo ano após ano.

O Ministério da Educação, que é responsável pelas universidades públicas, afirma que está ciente desses cortes nos repasses. No entanto, a pasta afirma que está fazendo o possível para tentar mitigar ao máximo essas reduções no orçamento.

Menos dinheiro para os auxílios

Vale lembrar que o Presidente Jair Bolsonaro venceu as eleições presidenciais de 2018 com a promessa de mudar a lógica do gasto público. O então candidato disse que o estado passaria a gastar menos. Em resumo, ele prometeu enxugar a máquina pública.

E essa diminuição do dinheiro inclui também a diminuição de gastos como estes das universidades. O Presidente Jair Bolsonaro, no entanto, não vem comentando essa questão. Enquanto isso, membros da oposição estão tentando jogar luz sobre essa situação.

É que boa parte da oposição acredita que o Governo precisa gastar mais com essa área. De acordo com deputados de esquerda, o Planalto precisa liberar esse dinheiro para que as Universidades consigam pagar o Auxílio para estes estudantes.

Além das universidades

O Governo Federal pode não estar querendo liberar mais dinheiro para os auxílios das universidades. No entanto, a tendência é que a liberação da quantia aconteça para o pagamento de outros tipos de auxílio no segundo semestre de ano. Pelo menos é o que eles estão prometendo.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a tendência natural agora é prorrogar o Auxílio Emergencial por mais dois ou três meses. Nesse caso, os pagamentos deste benefício seguiriam até, pelo menos, o próximo mês de setembro.

Logo depois disso, a ideia é começar os repasses do novo Bolsa Família. O programa ficaria maior do que a versão atual. A questão é que, assim como os estudantes da UFBA, os usuários desse auxílio ainda não possuem mais informações sobre o que vai acontecer com os seus benefícios em um futuro próximo.

O Presidente Jair Bolsonaro disse em mais de uma oportunidade que é contra a prorrogação do Auxílio Emergencial. Além disso, ele falou que as pessoas que estão pedindo por isso precisam ir tirar um dinheiro em um empréstimo de banco.

Fonte: Notícias Concursos

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade
error: O conteúdo está protegido !!