Connect with us

destaque

Bolsonaro vai decidir se prorrogação do Auxílio terá dois ou três meses

Publicado

on

O Auxílio Emergencial vai ter uma prorrogação de dois ou três meses? O Governo Federal ainda não tem essa informação, mas sabe-se que quem vai decidir isso é o Presidente Jair Bolsonaro. De acordo com informações do Portal de notícias UOL, o próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou isso.

Guedes voltou a dizer que a prorrogação do benefício vai depender do processo de vacinação contra a Covid-19 no Brasil. Em tese vai funcionar assim: se toda a população adulta se vacinar até setembro, então a prorrogação será de dois meses.

Por outro lado, se nem todo mundo se vacinar até setembro, então o Auxílio vai durar mais três meses. E isso significaria portanto que o programa vai fazer pagamentos até o próximo mês de outubro. Hoje, oficialmente o projeto deve fazer repasses até julho.

De toda forma, quem vai bater o martelo final sobre esse assunto é mesmo o Presidente Jair Bolsonaro. De acordo com informações de bastidores, ele deverá se reunir várias vezes com o Ministro da Cidadania, João Roma para decidir justamente este ponto da questão.

Para tomar essa decisão, ele também vai ter ajuda de membros do Ministério da Saúde. São justamente eles que irão informar o Palácio do Planalto sobre o ritmo da vacinação no país. E a partir dessas informações, o Presidente Jair Bolsonaro vai decidir se o Auxílio vai ter mais dois ou três meses.

Valores iguais

Vale lembrar que o que está em jogo agora é apenas o tamanho da prorrogação. Dentro do Governo Federal não se discute mais um possível aumento dos valores do programa. Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio está pagando quatro parcelas de valores que variam entre R$ 150 e R$ 375.

Isso não deve mudar. Até porque ainda há uma grande preocupação com a questão fiscal do país neste momento. Atualmente, o que se sabe é que o Governo pode gastar até R$ 44 bilhões com os repasses do Auxílio. Se passar disso, poderá estar cometendo portanto um crime de responsabilidade.

Também se sabe que não há um desejo do Planalto de aumentar a quantidade de beneficiários do programa. Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio está chegando na casa de cerca de 39 milhões de pessoas. E deverá seguir assim durante a prorrogação.

Bolsonaro e o Auxílio

O Presidente Jair Bolsonaro deve decidir portanto qual será a duração da prorrogação em breve. No entanto, há alguns dias atrás, ele estava criticando duramente os cidadãos que estavam pedindo por isso. Entre outras coisas, ele disse que esses brasileiros deveriam ir tirar um empréstimo em um banco.

No final do ano passado, Bolsonaro também garantiu que o Auxílio Emergencial não iria passar por uma reedição. Em um determinado momento ele chegou a dizer que o Governo só pagaria o Bolsa Família até o final do seu mandato.

No entanto, não foi isso o que aconteceu. O Palácio do Planalto voltou a pagar o Auxílio Emergencial ainda no último mês de abril depois de um hiato de três meses sem pagamentos. O retorno aconteceu depois de um grande aumento no número de casos do novo coronavírus no  Brasil.

Fontes: Notícias Concursos

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade
error: O conteúdo está protegido !!