Connect with us

destaque

Novo saque do FGTS deve ser liberado no 2º semestre

Avaliação é que não adiantaria autorizar os resgates agora porque não há disposição para gastar. Valor ainda será definido

Publicado

on

Os saque imediato ou emergencial de FGTS pode ser feito até março de 2020 Foto: Marcelo Régua/Agência O Globo

BRASÍLIA – O governo somente deverá liberar um novo saque imediato das contas do FGTS a partir do segundo semestre. Segundo um técnico a par das negociações,  a equipe econômica vai esperar pelo encerramento do exercício do Fundo PIS/Pasep em 30 de junho para incorporá-lo ao FGTS.

Essa foi a solução encontrada pelo Ministério da Economia para não sacrificar as políticas públicas de habitação, saneamento e infraestrutura, custeadas pelo FGTS. O PIS/Pasep tem disponível R$ 21,5 bilhões que não foram sacados pelos trabalhadores e servidores públicos.

Há também uma avaliação de que não adiantaria correr para liberar os saques nesse momento de crise porque as pessoas não estariam dispostas a gastar.

A adoção de medidas para preservar a saúde pública e evitar uma quebradeira das empresas por causa da pandemia do coronavírus é considerada mais urgente.

A estratégia da equipe econômica ao fundir os dois Fundos é reforçar o caixa do FGTS e autorizar um novo saque para todos os trabalhadores. 

As cotas do Pis/Pasep são nominais, mas os cotistas que ainda não retiraram o dinheiro não serão prejudicados, explicou um técnico, porque elas continuarão no nome desses trabalhadores, na forma de conta inativa do FGTS e os recursos poderão ser sacados futuramente.

Servidores públicos,  por exemplo, têm direito ao Pasep, mas não têm FGTS. Apenas quem tem PIS, caso da iniciativa privada. 

O governo ainda não definiu o valor do novo saque  imediato do FGTS. Por enquanto, os técnicos estão trabalhando em questões jurídicas e operacionais sobre  a fusão dos fundos. 

Será preciso concentrar na Caixa Econômica Federal, agente operador do FGTS, as  cotas do Pasep que são administradas pelo Banco do Brasil. A Caixa já é responsável pelo PIS. Além disso, os recursos do PIS/Pasep estão aplicados no BNDES.

Pode sacar as cotas do PIS/Pasep quem ingressou no mercado de trabalho até 1988. A retirada era condicionada a algumas condições, como aposentadoria, por exemplo, mas o governo liberou os saques independentemente da idade para todos os trabalhadores.

Mas muitos cotistas já morreram ou não têm informação de que podem retirar o dinheiro. Isso deve mudar quando os recursos migrarem para a  Caixa, que deve acionar esses trabalhadores.

FONTE : O GLOBO

Publicidade
CLIQUE PARA COMENTAR

You must be logged in to post a comment Login

DEIXE UMA RESPOSTA

PUBLICIDADE

Publicidade

Próximos Eventos

Nenhum evento encontrado!

COLUNISTA VARIEDADES

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade

MAIS VISTOS

error: O conteúdo está protegido !!