Compartilhar

A Sub-sede Divinópolis do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação em Minas Gerais (Sind-UTE/MG) anunciou uma nova paralisação na rede estadual de ensino, como forma de pressionar o governo estadual a pagar a primeira parcela dos salários dos profissionais da educação. Pela escala divulgada pelo executivo mineiro, a data prevista será o dia 13 de julho. A medida foi definida pelo sindicato em assembleia, e será tomada sempre que o Estado não fizer o pagamento no quinto dia últil, como explica a sindicalista Maria Catarina do Vale. “O governo emitiu uma tabela, na qual a primeira parcela será paga no dia 13, mas dizendo que para os demais servidores, além da Fhemig receberão apenas R$1500. Nós continuaremos a greve, até que seja depositado integralmente a primeira parcela”, comentou.

Maria Catarina diz que o sindicato reconhece as dificuldades das escolas de Divinópolis neste período, mas quer uma mobilização maior das escolas estaduais do município. “Hoje (9) fizemos uma assembleia da rede estadual numa das salas do Curso Opção. Realmente, a presença caiu bastante, foram apenas 21 presenças e pouquíssimas escolas estão em greve em Divinópolis. Mas, a luta continua”, disse.

Além da mobilização em busca do pagamento das parcelas dos salários, o sindicato também luta para aprovação em primeiro turno da PEC 49, garantindo que o vencimento dos profissionais da educação não seja inferior ao Piso Nacional, assegurando também os reajustes. “A nossa presença na assembleia para essa mobilização será na quarta-feira (11), mas o processo já se inicia amanhã (10). Isso acena o quanto é importante nós mantermos e acreditarmos em nossa luta. A PEC do Piso, a PEC 49 que vai garantir nosso reajuste salarial todas as vezes que for anunciado o reajuste do Piso Salarial Nacional sem ser necessário passar pelo projeto de lei e assembleia legislativa”, acrescentou.

Fonte: Sistema MPA

Compartilhar