Connect with us

destaque

Prorrogação do auxílio emergencial? Aliados tentam convencer Bolsonaro a desistir

Publicado

on

Aliados tentam convencer Bolsonaro a desistir da prorrogação do auxílio emergencial. Os membros do Ministério da Economia ainda não desistiram de tentar fazer o Presidente Jair Bolsonaro desistir da ideia de prorrogar o Auxílio Emergencial.

De acordo com informações do jornal Valor Econômico, pessoas mais ligadas ao Ministro Paulo Guedes são contrárias ao aumento dos pagamentos do benefício.

Pelo que se sabe hoje, o Auxílio Emergencial deve seguir fazendo pagamentos até este mês de outubro. Na prática, podemos dizer que falta apenas mais um repasse. Acontece que o Ministério da Cidadania está próximo de conseguir fazer o Palácio do Planalto aprovar mais uma prorrogação do programa.

Se depender do Ministério da Economia, no entanto, isso não vai acontecer. É que essas pessoas estão temendo que o Governo possa complicar a situação das contas públicas Em entrevista para o Valor Econômico, uma fonte que não quis se revelar disse que não faria sentido prorrogar o programa mais uma vez.

Ele argumentou que a pandemia não está mais em seu ápice de mortes. Além disso, ele disse que o Brasil vive neste momento uma reabertura quase que total do seu setor de comércio e de serviços. Ele disse ainda que até mesmo o Maracanã reabriu neste momento e os empregos informais estão crescendo.

Há também, por parte do Ministério da Economia, uma preocupação com a questão da inflação. É que eles acreditam que se o Governo Federal continuar pagando o Auxílio Emergencial por muito mais tempo isso poderia acabar virando contra o próprio trabalhador. Isso porque, ainda na avaliação deles, isso poderia fazer com que o custo de vida no Brasil seguisse mais caro por ainda mais tempo.

Ministério da Cidadania

O Ministério da Cidadania, que é comandado pelo Ministro João Roma, parece pensar de uma maneira completamente diferente. De acordo com as informações de bastidores, eles estão fazendo pressão pela prorrogação.

Em entrevista recente, o Ministro João Roma disse publicamente que há um problema que o Governo Federal precisa resolver. É que, pelas contas dele, algo em torno de 25 milhões de pessoas que hoje recebem alguma ajuda do poder executivo, ficarão sem nada a partir de novembro.

Quando disse isso, o Ministro garantiu que o Palácio do Planalto iria achar uma solução para esse problema. No entanto, ele não falou o que seria. Agora, o que se sabe é que o programa pode mesmo passar por uma prorrogação.

Auxílio Brasil

Enquanto o Governo tenta chegar em um acordo sobre o Auxílio Emergencial, já se sabe o que vai acontecer de fato com o novo Bolsa Família. O programa deve entrar em cena a partir do próximo mês de novembro.

Os pagamentos do novo projeto devem ser maiores do que os patamares da atual versão do benefício. Além disso, a quantidade de usuários também deve aumentar. Hoje, de acordo com o Ministério da Cidadania, o programa atende 14 milhões com pagamentos médios de R$ 189 por mês.

O aumento do novo Bolsa Família, ou Auxílio Brasil como deve passar a ser chamado, só vai ser possível este ano por causa do aumento da cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Essa foi uma decisão polêmica do Presidente Jair Bolsonaro.

Notícias Concursos

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade