Connect with us

destaque

Preço de alimentos alcança o maior nível em uma década

Publicado

on

Os preços dos alimentos estão em um constante aumento nos últimos tempos e isso não é só no Brasil, como no mundo. Em maio de 2021 os alimentos subiram 40% em relação ao ano de 2020, foi a 12ª alta nos preços por mês. Esses dados são baseados no índice de preços dos alimentos da Nações Unidas.

O mês de maio também teve um aumento significativo em relação a abril. O preço médio dos alimentos atingiu uma alta de 4,8%. Essa é a maior alta em mais de uma década, o que surpreendeu muitos economistas.

De acordo com o economista sênior da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, Abdolreza Abbassian diversos fatores estão influenciando no aumento dos preços. Um deles é a alta demanda por milho na China, o outro está relacionado aos problemas com o clima que o Brasil vem enfrentando.

O atual problema com a seca brasileira vem de encontro com o aumento do consumo de óleos vegetais, açúcar e cereais no mundo. Unidos, esses fatores ocasionaram em um rápido aumento nos preços desses produtos base no mundo inteiro. “A demanda está surpreendendo a todos”, disse Abbassian em entrevista ao CNN Business.

A inflação global

inflação dos produtos de base está provocando uma alta nos preços de quase todos os setores, desde alimentos até ligas metálicas e energia. Nos países que pertencem à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em abril os preços alcançaram a maior taxa desde 2008.

Além disso, outro fator que contribui para o elevado aumento nos preços globais é o maior uso de biodiesel, aumento no preço das carnes e laticínios. Segundo relatório da ONU, as cotações internacionais do óleo de palma alcançaram o mais alto nível desde 2011. Isso é decorrência do aumento do consumo global desse óleo, bem como do crescimento abaixo do esperado da produção do mesmo.

Nesse ínterim, Abbasian, ao comentar sobre a especulação de quanto milho o Brasil e os produtores dos EUA podem produzir, ele disse: “Esta é a grande questão na mente de todos agora. No setor de cereais, houve muitos problemas em termos do que vai acontecer com a produção deste ano. Fala-se muito de que as secas no Brasil afetem realmente o mercado de milho”.

Aumento dos preços no Brasil

A principal preocupação com o aumento dos preços dos produtos no Brasil é sem dúvidas o risco que o país corre de voltar ao índice de fome. O país saiu da lista em 2014 devido à instauração do programa Bolsa Família destinado a famílias na extrema pobreza. No entanto, se a subalimentação no país chegar a 5% da população ele volta para a lista.

Segundo projeção de Daniel Balaban, representante no Brasil do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (WFP), o Brasil deve estar próximo aos 9,5%. Baladan também é Diretor do Centro de Excelência contra a Fome e disse que a atual situação do país é preocupante.

O cenário será cada vez mais alarmante com a alta dos preços dos alimentos. De acordo com o IPCA de abril, que mede a inflação oficial no Brasil, o grupo alimentos e bebidas é o segundo setor que mais impactou para a alta do índice. Por fim, vale ressaltar que muitos brasileiros que arcam com preços maiores tanto de alimentos como de combustíveis e energia elétrica estão sofrendo com isso.

Fonte: Notícias Concursos

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade