Rede Social

Cultura

PM prende um dos suspeitos de roubo contra casal em Pará de Minas

Redacao

Publicado

on

Compartilhamento:

Na noite de segunda-feira, 10 de dezembro de 2018, na Praça Frei Concórdio, próximo ao bairro São Francisco, em Pará de Minas, a Polícia Militar prendeu o suspeito de 37 anos, que havia cometido roubo e cárcere privado tentado, contra um casal, no bairro Castelo Branco, sendo o homem de 46 e a mulher de 49 anos.

Na ação foi apreendido um veículo Fiat Argo, placa QOR 5692, roubado em Belo Horizonte, que estava com a placa adulterada e um simulacro de arma de fogo. Havia um explosivo no carro, que foi detonado, por motivos de segurança, por equipe do BOPE, Batalhão de Operações Especiais, de Belo Horizonte.

A PM recebeu a ligação da solicitante de 49 anos, relatando que trafegava com seu marido no seu veículo Ford Fiesta, pelo bairro Castelo Branco, quando dois indivíduos ocupando um Fiat Argo, de cor branca, se aproximaram, abriram a porta do veículo em que estavam e tentaram abordar as vítimas, que conseguiram fugir e acionar a PM.  O veículo ocupado pelos suspeitos foi localizado ainda no bairro Castelo Branco, momento em que eles fugiram da abordagem policial, sendo acompanhados pela viatura.

Em frente à Escola Estadual Fernando Otávio, os ocupantes saíram do veículo e iniciaram fuga, sendo que um deles conseguiu fugir, não sendo mais localizado. O outro foi abordado, sendo identificado como o homem de 37 anos citado acima, o qual portava um simulacro de arma de fogo, que foi apreendido. Ele portava ainda uma chave “mixa”, geralmente usada para arrombar veículos e um telefone celular, que também foram apreendidos.

Na porta do veículo foi encontrado um artefato explosivo, sendo acionado equipe do BOPE, que o detonou no local. Alguns dígitos da placa do veículo citado estavam adulterados com fita isolante, sendo apreendido. O suspeito de 37 anos, morador de Belo Horizonte, foi preso e encaminhado à Delegacia. Ele já tem passagens policiais anteriores.

Segundo a Polícia, essa ação realizada pelos suspeitos se assemelha ao crime do “sapatinho”, no qual vítimas são feitas reféns, com a utilização de explosivos.

 

Fonte: Sistema MPA

Compartilhamento:
Publicidade
Clique para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Eventos

PUBLICIDADE