Compartilhar

A equipe da Secretaria Municipal da Saúde (Semusa) realizou, nesta quarta-feira (09/01), uma varredura, no Parque da Ilha, em busca do carrapato estrela, transmissor da febre maculosa. Com a incidência baixa do carrapato, a Vigilância Ambiental recomendou a liberação do espaço. No entanto, a comissão montada com várias secretarias precisa autorizá-la.

A Vigilância Ambiental fez a varredura e encontrou uma incidência pequena de carrapatos. “É uma incidência baixa, e vamos agora fazer um contato com a comissão montada para buscar ações de controle do carrapato. Vamos confirmar que o Parque da Ilha está em condições de receber visitantes. Os carrapatos encontrados vão para análise para saber se estão contaminados com a bactéria da febre maculosa. É um procedimento padrão”, afirmou o secretário de Saúde, Amarildo de Souza.

Antes de liberar o local, a Secretaria Municipal de Saúde realizará encontro com os frequentadores do parque para orientá-los. “Antes de liberá-lo, vamos nos reunir com esqueitistas para passar informações. Nos primeiros dias de portões abertos, uma equipe da Vigilância em Saúde estará no parque orientando os visitantes e falando das ações de prevenção”, afirmou Amarildo. Previsão é de 10 dias para abertura do parque, caso a comissão autorize.

Agosto

Em agosto do ano passado, a Prefeitura de Divinópolis restringiu o acesso do público ao Parque da Ilha. A providência reforçou as ações de saúde pública tomadas pelo município para combater possíveis casos de febre maculosa. Depois de três mortes confirmadas – e todas passaram pelo Parque da Ilha –, foi necessário restringir o acesso.

Foram 24 casos notificados no ano passado. Destes, seis foram confirmados, e três mortes foram registradas, de acordo com os dados da Semusa.

Fonte: Sistema MPA

Compartilhar