Treze presos morreram e 25 ficaram feridos, oito deles gravemente, em um motim no presídio de Cadereyta, em Nuevo León, no Norte do México, de acordo com informações passadas nesta terça-feira pelo governo local. As informações são da EFE.

Aldo Fasci, porta-voz estatal de segurança, confirmou que esperam os resultados das autópsias para determinar o número de detentos que morreram pelo uso de força letal e dos que morreram por rixas entre grupos rivais.

“Durante a madrugada, teve início um protesto de um grupo de detentos no presídio de Cadereyta”, informou Fasci, em entrevista coletiva realizada na sede do Governo de Nuevo León.

“Devo esclarecer à comunidade que na prisão de Cadereyta os detentos são separados por grupos criminosos para evitar confrontos”, completou.

Segundo o porta-voz, o distúrbio da madrugada foi controlado, porém, horas depois, um grupo de 150 detentos começou a queimar lixo e colchões, além de atacar forças de segurança que entraram no presídio para tentar controlar os confrontos.

“Na luta da tarde, um dos presos foi assassinado e depois incinerado por um grupo de internos”, disse Fasci.

Aldo Fasci destacou que foi preciso utilizar “força letal” para tentar controlar os detentos, mas quando um grupo tentou escapar, foi agredido pelos rivais.

Aldo Fasci não descartou que possa haver mais mortes, pois vários presos ficaram feridos gravemente.

Fora da prisão, dezenas de familiares se reuniram para ter informações sobre a situação no interior da unidade e reclamaram que as autoridades não estavam divulgando uma lista de feridos ou de mortos.

Há seis meses, o presídio de Cadereyta foi palco de outro motim, com uma briga entre detentos que deixou quatro mortos.

Fonte: G37