Connect with us

destaque

Gasolina já acumula uma alta de 57% desde maio

Publicado

on

preço médio da gasolina voltou a registrar alta em setembro no comparativo com agosto, registrando uma evolução de 2,47% e que elevou o preço médio da gasolina no país para R$ 6,309.

O combustível já acumula uma alta de 1 ano e quatro meses consecutivos, sendo que nesse período o preço da gasolina registrou um aumento de 57,33% desde maio de 2020, dois meses após o início da pandemia, quando o preço médio estava em R$ 4,01, de acordo com um levantamento da ValeCard, que é uma empresa do setor de frotas.

Rio Grande do Norte é o estado que registrou a maior alta da gasolina

A ValeCard realizou um levantamento em 25 mil estabelecimentos credenciados, onde os dados mostram que com 5,33% de alta, o Rio Grande do Norte foi o estado que registrou o maior aumento do preço da gasolina em setembro. Na segunda posição ficou o Piauí, com 4,66%.

As menores variações, ainda que com um pequeno aumento, aconteceram na Bahia, onde o combustível subiu 0,89% no último mês, seguido do Ceará com 0,9%. O único estado que registrou queda no último mês foi o Amapá, com uma redução de 6,78%.

No estudo que analisou o preço da gasolina por capital, o preço médio do combustível fechou em R$ 6,264. O Rio de Janeiro com R$ 6,673 fechou com o maior preço em setembro, seguido de Teresina, R$ 6,664, Os menores valores médios foram registrados em Macapá, R$ 5,737 e seguido de Curitiba, R$ 5,838.

Abastecimento com o etanol não compensa em nenhum estado

Se abastecer o carro com gasolina não está compensando, a situação não é diferente quando mudamos para o etanol, que no último mês fechou cotado em R$ 4,713. Mesmo com a sequência de meses em alta da gasolina, o combustível derivado do petróleo ainda segue sendo o mais vantajoso do país.

O método que foi utilizado nesta análise é que para compensar completar o tanque com etanol, o valor do litro precisa ser 70% inferior ao preço atual da gasolina.

Até onde pode parar o preço do combustível no Brasil?

Se em 2020 o consumidor já percebeu um aumento do combustível, em 2021 vimos que esse item subiu alguns degraus a mais. Considerando o preço final, mesmo com alguns impostos zerados, infelizmente o consumidor tem sentido a alta no bolso.

Porém esse problema não está sendo apresentado apenas no Brasil. A gasolina está subindo também em regiões desenvolvidas, como Estados Unidos e Europa. Porém o que acaba pesando para o brasileiro médio é o menor poder de compra.

Para efeitos de comparação, o preço médio do galão de gasolinanos Estados Unidos é menor do que o praticado no Brasil. Por lá, a cotação média atual é de US$ 3,14, enquanto que no Brasil já chega a US$ 4,22. Também podemos citar outros fatores para a alta do combustível no país, aliado às incertezas políticas.

Notícias Concursos

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade