Connect with us

destaque

Falsa notícia de sequestro de crianças em Itaúna foi resultado de áudio no WhatsApp

Publicado

on

Compartilhar mensagens sem autorização pode configurar crime

Itaúna – Um áudio cujo conteúdo apontava para uma suposta tentativa de sequestro de crianças, viralizou nessa quarta-feira (10) em grande parte da cidade de Itaúna e espalhou uma sensação de insegurança e temor a várias famílias em especial as mães. A policia militar informou ter tido acesso a dois áudios que circulavam no aplicativo de mensagens WhatsApp, onde duas pessoas conversavam privadamente sobre a desconfiança de uma das interlocutoras sobre a possibilidade de um de seus filhos ter sido vitima de um sequestro. Sem mencionar o local, mas referindo-se a um edifício da cidade, a PM informou a imprensa que segundo o conteúdo da conversa, L.L.S.P. de 30 anos estava acompanhada de seus dois filhos um de 1 e outro de 6, quando duas mulheres desconhecidas começaram a brincar com as crianças. Ela contava no áudio, que falava ao celular enquanto aguardava o elevador e quando este chegou no térreo do edifício, uma das mulheres, chamou a criança de 06 anos dizendo a ela que a mãe viria logo atrás. Como é natural para toda mãe, L.L.S.P. desconfiou da atitude da desconhecida, mas afirmou que nada anormal aconteceu além disto.
Divulgação não autorizada
Estes acontecimentos foram narrados em áudio pela mãe das crianças para familiares e uma amiga e um deles sem comunicar a intenção, compartilhou parte da conversa sobre o assunto com outras pessoas no aplicativo de mensagens, o que levou a novos compartilhamentos por parte de todos que recebiam o áudio com a conversa.
Ação da polícia militar
Primeiramente a Policia Militar destacou que em nenhum momento foi feito contato via 190 ou de outra forma com a 51ª CIA PM de Itaúna, com a denúncia de sequestro ou de sua tentativa, seja pela mãe das crianças ou por parte de terceiros. Mas, dada a possibilidade do fato ter realmente acontecido e como forma de coibir este tipo de ação criminosa, uma viatura da PM foi deslocada para apurar o caso e não conseguiu identificar indícios da pratica de crime de tentativa de sequestro de forma individual ou por uma suposta quadrilha que pudesse estar agindo na cidade.
Mãe das crianças procura a polícia
Dada a repercussão do assunto e o áudio viralizar, L.L.S.P., compareceu à CIA.PM e esclareceu os fatos confirmando a narrativa contida no áudio compartilhado, esclareceu que o fato gerou certa suspeição, mas nenhuma intenção de delito praticado. Por fim, acrescentou que conversou sobre o ocorrido com alguns parentes e também uma amiga, a qual provavelmente pode ter divulgado o áudio, que acabou se espalhando na cidade.
Compartilhar mensagens sem autorização pode configurar crime
Em agosto deste ano O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a divulgação de conversas no aplicativo WhatsApp, sem consentimento dos participantes ou autorização judicial, é passível a indenização caso configurado dano. A decisão, por unanimidade, foi proferida pela Terceira Turma do STJ.
Segundo os ministros, ao enviar mensagens pelo aplicativo de conversa, o emissor tem a expectativa de que ela não será lida por terceiros, quanto menos divulgada ao público, seja através de rede social ou mídia.

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade