Connect with us

destaque

Conheça Pedro Lacerda, autor do crime mais revoltante de 2021 em Divinópolis

Publicado

on

O criminoso Pedro Lacerda, de 32 anos, segue preso em Divinópolis. Apesar de boatos falsos apontarem uma suposta fiança de R$50.000,00 que teria sido paga por sua família, o assassino confesso que ceifou a vida do trabalhador Edson Carlos Ribeiro, de 42 anos, continua no presídio Floramar.

Nossa equipe de reportagem colheu dados esclarecedores da badalada vida social de Pedro Lacerda em Divinópolis.

Controverso

Pedro Lacerda ganhou destaque comercial em Divinópolis nos últimos anos através de vendas de produtos importados. Com um ponto comercial no bairro Santa Clara e com vendas pela internet, seu Instagram contava com mais de 100 mil seguidores.

É importante destacar que até então Pedro não tinha nenhuma passagem policial relevante. Seus únicos problemas foram em pequenas ocorrências de trânsito. Mas o que teria levado um empresário sem histórico criminal a se tornar o assassino mais odiado de Divinópolis¿

Amigos próximos e contatos profissionais do até então influencer e agora detento contam que faltava humildade nas condutas sociais de Pedro. “Ele era generoso com os amigos, e sempre nos abraçava e tratava como irmãos, mas muitas vezes era arrogante e humilhava desconhecidos por razões banais”, revela um contato pessoal de Pedro que conversou anonimamente com nossa equipe de reportagem.

Seus vizinhos de condomínio no bairro Sidil relatam que as festas de Pedro Lacerda geravam transtornos. Moradores chegaram a se mudar do local por não suportarem os excessos noturnos.

Tumultos

Não era a primeira vez que Pedro gerava confusão em festas. Algumas brigas em 2021 já haviam acontecido em 2021. Sempre em grau menor e sem acionamento de polícia. Mas nunca imaginei que ele chegaria ao ponto de matar um ser humano”, comentou F. Azevedo, estudante de Direito, e testemunha presente ontem no Parque de Exposições.

Natureza Violenta

Destaca-se que o crime se deu quando Pedro Lacerda usou um soco-inglês (arma-branca colocada no punho para aumentar o impacto do soco). Ao tentar invadir um espaço proibido do evento, Pedro foi abordado por um segurança. De forma covarde, o criminoso desferiu um golpe no pescoço do trabalhador Edson, que faleceu em seguida.

Autoridades policiais e do judiciário consideraram que ao entrar armado num evento festivo, Pedro já nutria uma intenção criminosa.

Ao ser confrontado pela PM sobre o porquê da selvageria, Pedro respondeu com frieza: “Fiz porque quis!”

Divinópolis Quer Justiça

Edson Carlos Ribeiro era pai de família e deixa uma filha de 12 anos. Trabalhador honesto, prestou anos de serviço na viação São Cristóvão e recentemente trabalhava como segurança de eventos. Divinópolis está de luto e clama por justiça.

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de whatsapp

Clique aqui e siga-nos no instagram

Clique aqui e siga-nos no facebook

Clique aqui e siga-nos no Twitter

Clique aqui e faça parte de nosso grupo de Telegram

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WPP-1024x338.jpg
Publicidade

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNISTA FOTOGRAFICO

COLUNISTA VARIEDADE

Publicidade